Grupo Walmart penaliza trabalhadores/as e clientes brasileiros/as para garantir lucros exorbitantes

Walmart

O Walmart anuncia e já põe em prática o fechamento de algumas de suas unidades no Brasil. Isto é algo lamentável e inaceitável, principalmente por tratar-se da maior rede de varejo do mundo e, mesmo diante de uma anunciada crise na economia mundial, o grupo norte-americano continua se “dando muito bem” em todos os países de todos os continentes onde está inserido.

Especialmente no Brasil, a vigorosa ascensão do grupo Walmart é visível e “palpável,” basta conferirmos os números de 2014 (2015 ainda falta consolidar, mas, a lucratividade continua).

Veja os números publicados pela própria empresa:

1 – Varejista viu lucro se repetir pelo segundo trimestre consecutivo. De novembro a janeiro o lucro subiu 12% e a receita cresceu 1,5% – Revista Exame, edição de 19.02.2015.
2 – O Walmart, maior varejista do mundo, fechou o ano de 2014 com um crescimento de 1,9% em suas vendas líquidas, para US$ 482,2 bilhões. Os lucros consolidados da empresa avançaram 2,1% na comparação anual, para US$ 16,4 bilhões. – Revista Valor Econômico, edição de 19.02.2015

O que nos deixa perplexos é a maneira como essa empresa manobra para se estabelecer no país: com inúmeras reivindicações de incentivos, facilidades e renúncias fiscais. Além disso, introduz práticas antissindicais, arrochos salariais, descumpre leis e várias outras atitudes que vão de encontro aos nossos códigos e atingem profundamente os/as trabalhadores/as e os clientes, tudo em nome e em busca do lucro exorbitante, que é remetido inexoravelmente aos seus acionistas por todo o planeta.

É sabido que o Brasil, por ser um país de dimensões continentais, detém um dos mercados mais importantes do mundo e seu potencial de consumo atrai centenas de outras empresas para cá. O Walmart é concretamente um dos principais detentores e beneficiários desse mercado.

Para explorar o mercado consumidor brasileiro, o Walmart, como já disse acima, busca benesses e facilidades, mas a qualquer sinal ou mesmo mudança de estratégia, opta sempre pelo caminho mais fácil, que é justamente o de retirar direitos, reduzir custos e condições de trabalho inerentes aos seus funcionários, que ironicamente são chamados de “associados.”

Recentemente o Walmart, sem qualquer consulta ou aviso prévio, encerrou suas atividades em várias unidades de diferentes estados brasileiros, tais como Paraíba, Alagoas, Rio Grande do Sul (o mais afetado), Paraná, Santa Catarina e São Paulo, existindo ainda rumores de novos fechamentos em outros estados.

É bom lembrar que mesmo nos momentos de maior aquecimento da economia, a empresa sempre pratica políticas abusivas contra os direitos trabalhistas, como aplicação de jornadas excessivas, assédio moral, redução de orgânicos e desvios de funções, dentre outras atitudes nocivas ao conjunto dos trabalhadores denunciadas pelos mesmos, ficando claro que não se trata de crise e sim de uma prática comum na empresa. A empresa é uma das campeãs de ações trabalhistas em todo o país.

Não podemos ficar inertes em relação a tudo isto, temos que nos mobilizar para enfrentar e resistir a essas ações desenvolvidas pelo Walmart periodicamente, inclusive formalizando denúncia a OCDE – Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico, organismo internacional cujo Brasil, apesar de não ser membro, é parceiro; aos órgãos governamentais do nosso país, como MTE, MPT e principalmente mobilizando os funcionários em seu local de trabalho e levando ao conhecimento da sociedade (clientes) mais este absurdo.

Eliezer Gomes, secretário de relações internacionais da Contracs

5 Responses to Grupo Walmart penaliza trabalhadores/as e clientes brasileiros/as para garantir lucros exorbitantes

  1. Parabéns seu Eliezer pois é muito bom saber que podemos contar com a sua força e a sua garra em defesa de nós. Feliz ano novo e se for ser candidato o senhor já sabe né? conte sempre com a nossa força.

  2. Esta empresa está massacrando os trabalhadores principalmente os jovens que estão sendo sugados até a ultima gota. Amigo estamos juntos e você sabe onde me encontrar. Obrigado pela força.

    Um abração Mario do TD

  3. Muito bem Eliezer, temos que resistir. Ainda bem que saí dessa escravidão que é essa empresa.

  4. Empresa exploradora de nossa mão de obra, deita e rola, só visam lucro os associados que se danem.

  5. Feliz ano novo meu amigo Eliezer. Que você seja em 2016 essa pessoa amiga e batalhadora por todos nós comerciários, um grande abraço meu querido de sua amiga Ana Paula

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *