“É dever dos artistas defender a democracia”, diz Chico César

O cantor e compositor se colocou contra o processo de impeachment da presidenta Dilma que, para ele, é uma iniciativa de “partidos que estão com medo de serem investigados, e que já estão sendo”

Brasília - DF, 17/12/2015. Presidenta Dilma Rousseff durante audiência com Frente Brasil Popular no Palácio do Planalto. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Brasília – DF, 17/12/2015. Presidenta Dilma Rousseff durante audiência com Frente Brasil Popular no Palácio do Planalto. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

O cantor e compositor Chico César é contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff. No ato “A Paraíba pela Democracia: Golpe nunca mais”, que reuniu cerca de 600 pessoas no Teatro Paulo Pontes, em João Pessoa, na última terça (15), Chico César declarou seu apoio à permanência de Dilma na presidência da República.

Em seu discurso, o cantor salientou que é dever dos artistas defender a liberdade e a democracia, e condenou o impeachment, dizendo que o processo está sendo colocado por “partidos que estão com medo de serem investigados, e que já estão sendo”.

Chico César continuou sua fala lembrando que, até agora, a presidenta segue livre de acusações que poderiam embasar o impedimento.

“Não podemos aceitar um pedido de impeachment nesses termos e por essas pessoas. Não há nada que desabone diretamente e pessoalmente a presidente Dilma. Não há uma conta sequer no nome dela, nem aqui e nem fora, na Suíça ou em qualquer lugar, não é a mesma coisa com relação aos seus acusadores. Por isso que a sociedade, os artistas, os intelectuais, os jornalistas e os trabalhadores se uniram para defender esse mandato, e mais que defender o mandato é defender a democracia”, afirmou.

A cobertura e a influência da grande mídia nos eventos políticos também foi alvo de críticas do cantor. Segundo ele, estes setores da comunicação estão “encampando a ideia do golpe” e encorajando manifestações pró impeachment.

“A gente percebe isso por essas últimas manifestações do dia 13, aniversário do famigerado AI 5, uma coincidência triste”, destacou.

Chico César finalizou seu discurso chamando a atenção para a responsabilidade dos artistas em relação à defesa da democracia e das liberdades nacionais. Segundo ele, “essas liberdades foram conquistadas com muita luta e muito esforço e não podemos, por um casuísmo, deixar isso escapar”.

PTORG.BR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *