A Força do movimento sindical e o futuro dos Trabalhadores

EliezerA História do movimento sindical brasileiro é rica em detalhes de lutas e conquistas, mesmo que em alguns momentos tenhamos tido derrotas e até retrocessos, mas, tudo que os trabalhadores brasileiros conseguiram conquistar até os dias atuais, se deveu a sua organização e as suas reivindicações e lutas encaminhadas e lideradas pelos seus sindicatos.

Com a industrialização do país, que até meados do século XIX tinha sua economia predominantemente sustentada pelo sistema agrícola, nasceu a classe operária cujas demandas gerou vários outros segmentos, dentre os quais o comércio e serviços, onde estamos nós.

Com o surgimento dessa nova classe, surgiu também as formas de exploração do capitalismo sobre os trabalhadores, com jornadas de até 16 horas de trabalho por dia, uso e abuso do trabalho infantil, desvalorização da mão de obra feminina, descaso com a saúde, baixos salários e até redução dos mesmos, como forma de punição; são esses alguns exemplos da ação selvagem do sistema estabelecido.

Mas os trabalhadores brasileiros, diante de tanta opressão e injustiças, a exemplo de outros obreiros do resto do mundo, como os europeus, por exemplo, começaram a se organizar, e uma das formas mais eficaz foi a criação dos sindicatos que, a partir de então, passaram a ser os verdadeiros órgãos representativos dos mesmos.

Com a criação dos sindicatos, houve muita perseguição e várias mortes, mas a luta teve continuidade e os trabalhadores sempre avançaram e continuam avançando em suas conquistas.

Até os dias atuais, a luta sindical tem sido uma constante, com uma amplitude maior e em cadeia, com a criação de organismos aglutinadores, tais como as federações, confederações e centrais sindicais.

Sem esta constante luta, com certeza, os trabalhadores não conseguiriam os direitos que atualmente lhes garante um mínimo de decência.

Hoje, temos presenciado uma gigantesca investida da classe patronal brasileira, via Congresso Nacional, numa busca incessante de aprovar projetos que retiram direitos dos trabalhadores; basta vermos as últimas seções do Poder Legislativo, onde as votações foram todas contra nossos direitos e conquistas, numa clara demonstração do poder patronal que instrumentaliza um poder legislativo dos mais reacionários e inimigos do povo nos últimos 50 anos.

O movimento sindical brasileiro tem tido um papel importantíssimo, de resistência e lutas contra a sanha do capitalismo e do neoliberalismo. Basta vermos as grandes manifestações realizadas em todo o país, lideradas pelos sindicatos, federações, confederações e centrais sindicais, notadamente a Central Única dos Trabalhadores-CUT.

Mas é preciso que estas lutas tenham o apoio dos trabalhadores e das trabalhadoras do Brasil, pois é o nosso futuro que está na “berlinda.”

Seja sócio do seu sindicato. Participe das lutas por nossos direitos, não podemos retroceder!

Eliezer Gomes, secretário de relações internacionais da Contracs/CUT

artigo publicado no site da CONTRACS – www.contracs.org.br e no Informativo do Sinecom – JP (resumido)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *