Trocando em Miúdos – Eliezer Gomes*

cropped-blogSem Provas, República de Curitiba Parte para o Vale-tudo -> A semana teve início com uma espécie de vale tudo na “república de Curitiba.” Em mais uma audiência marcada para ouvir o ex-senador Delcídio do Amaral, primeira testemunha de acusação contra o ex-presidente Lula na operação Lava-jato. Inquirido por diversas vezes, tanto pela defesa quanto pela acusação, Delcídio não conseguiu apresentar provas que incriminassem Lula, causando uma certa perplexidade na bancada de acusação, que passou a fazer perguntas fora do processo e de forma claramente indutora sobre o declarante, fato este, causador de veementes protestos da defesa, que ao detectar os desvios, solicitava questões de ordens automaticamente negadas pelo Juiz Sergio Moro. Foi uma sessão das mais tumultuadas, onde prevaleceram o “vale tudo” dos inquisidores e a truculência do julgador, e não os preceitos legais amparados pela nossa constituição. Para os advogados de defesa e alguns renomados operadores do direito, o processo contra o ex-presidente Lula tem sido muito mais político e perseguidor do que doutrinário do ponto de vista jurídico.

Banco do Brasil Caminha para a Privatização -> Recentemente o governo ilegítimo do senhor Michel Temer anunciou o fechamento de 402 agências do Banco do Brasil em todo o território nacional. Com o fechamento, além do des-serviço aos seus milhões de clientes, o ato aponta para uma clara demissão em massa e aposentadorias compulsórias sem o prévio conhecimento por parte de seus funcionários sobre os critérios estabelecidos. E mais: a medida tomada pelo governo ilegítimo mira exatamente nos propósitos do mercado financeiro que sonha com a privatização da instituição que tanto contribuiu para o progresso do país, trata-se, assim como a Petrobrás, de um patrimônio do povo brasileiro. Para se habilitar rumo a uma privatização, o BB precisa estar bastante enxuto, pois, na privatização o que importa é o fabuloso lucro a ser gerado, a exemplo do que ocorre com as instituições bancárias privadas. Aos poucos o governo golpistas vai implementando o desmonte do Estado Brasileiro. A Caixa Econômica não escapará.

O Analfabeto Político  – de Bertolt Brecht -> O pior analfabeto é o analfabeto político! Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que da sua ignorância política nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos que é o político vigarista, pilantra, o corrupto e lacaio dos exploradores do povo. Nada é impossível de Mudar. Desconfiai do mais trivial, na aparência singelo. E examinai, sobretudo, o que parece habitual. Suplicamos expressamente: não aceiteis o que é de hábito como coisa natural, pois em tempo de desordem sangrenta, de confusão organizada, de arbitrariedade consciente, de humanidade desumanizada, nada deve parecer natural, nada deve parecer impossível de mudar. Privatizado, privatizaram sua vida, seu trabalho, sua hora de amar e seu direito de pensar. É da empresa privada o seu passo em frente, seu pão e seu salário. E agora não contente querem privatizar o conhecimento, a sabedoria, o pensamento, que só à humanidade pertence.

Até mais ver!

novembroazul2*Sindicalista, blogueiro e historiador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *