Trocando em Miúdos – Eliezer Gomes*

cropped-blogFMI determina e Temer aprova na câmara a PEC da Morte -> Após um lauto jantar oferecido para mais de 300 deputados, tudo pago pelo erário público,  um dia antes da votação, o governo Temer (sem voto popular),  aprovou na câmara dos deputados, Projeto de Emenda a ConstituiçãoPEC 241, a famosa “pec da morte.” O mais irritante e profundamente preocupante nisso tudo é o fato de que com a “aprovação” da emenda, com larga margem de votos estão sendo atacados, com essa medida exigida em caráter de urgência pelo FMI – Fundo Monetário Internacional (lembram-se?…), a saúde, a educação, a segurança pública, os direitos trabalhistas, o salário mínimo, as pensões e  as aposentadorias… Enquanto os deputados, inclusive, 11 paraibanos (com a unica exceção do deputado Luiz Couto – PT, que votou contra) aprovavam a pec e feriam de morte o futuro do povo brasileiro, o Ministro Meirelles encontrava-se nos Estados unidos reunido com agentes do FMI assistindo a tudo, como numa partida de futebol, aguardando o resultado do jogo para planejar o próximo passo. O desmonte social começou!

Lula: prisão, exílio ou presidência de novo? -> Para quem “quer ver,” tá claro que os agentes do golpe não irão descansar enquanto não conseguirem a prisão do ex-presidente Lula. Não interessa à república de Curitiba ou até mesmo a uma boa parte dos togados, uma verdadeira apuração sobre a chamada operação lava-jato. Se assim fosse esse processo já teria sido concluído. A verdade é que o plano do golpe está embasado em três grandes ações, a saber: 1. Afastar do cargo a presidenta eleita Dilma Rousseff (já concluído); 2. desmoralizar, condenar e prender o Lula (para que o mesmo não possa ser candidato em 2018, a direita treme); mesmo sem provas, “apenas com convicção”  3. desmoralizar e destruir o PT (maior e mais importante partido popular da América Latina). Para realizar esse objetivo, a direita brasileira em parceria com a grande mídia e setores da justiça, sequer analisam o envolvimento de vários partidos e personagens cabalmente envolvidos no sistema de corrupção que tanto nos assusta. Para se ter uma ideia, as delações da Odebrecht foram rejeitadas simplesmente pelo fato de conter inúmeros nomes importantes do PSDB/DEM/PMDB… inclusive com fortes citações que comprometem agudamente o atual presidente, sem votos, Michel Temer. O fato é, conforme citamos acima, existe uma missão: acabar com o PT e tirar Lula do Páreo. Diante disso, surge a grande pergunta: Onde será melhor termos o Lula? na cadeia? no exílio? se em alguns desses lugares estiver, com certeza não estará outra vez no Planalto, portanto, é preciso refletir. Nós preferirmos Lula no Planalto ou no exílio denunciando e mobilizando contra o golpe, nunca na cadeia. À luta, então!

O Brasil que o PT “quebrou.” -> Uma das mentiras mais propaladas pelo governo golpista é a de que o PT quebrou o Brasil. Sempre bem assistido pela imprensa igualmente golpista, o governo sem votos colocou na praça uma ideia de que a economia brasileira está falida. Pois bem, desde que os ilegítimos assaltaram o poder, já deram várias demonstrações que contradizem o cínico discurso, a saber: (apenas três exemplos entre os muitos) 1 – aumento de 41% para o poder judiciário (???…), 2 – “Jantarzinho” oferecido para mais de 300 deputados e seus agregados no palácio da Alvorada, que custou para os cofres públicos a bagatela de R$ 100.000,00 (Cem Mil Reais); o “jantarzinho” destinou-se a reunir a famosa base aliada, (leia-se os fisiologistas), e concretizar a negociata de aprovação da PEC 241  3 – Liberação de um empréstimo de 10 bilhões de dólares (dólares) ao FMI. Realmente o Brasil está quebrado!

Teríamos inúmeros outros exemplos, tais como a imperial mordomia da Marcela e do Michelzinho (aquele que com apenas sete aninhos de idade já tem uma poupançazinha de R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais); pois bem, são somente 50 funcionários para atendê-los diuturnamente.

Até mais ver!

outubro-rosa-02*Sindicalista, blogueiro e historiador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *