Blog de WS mostra papel histórico de Maranhão e Lira na votação do Impeachment

Lira e Maranhão-001O julgamento do impeachment da presidente Dilma Rousseff chega em seu ponto decisivo. Dilma será ouvida nesta segunda-feira (29), no Senado Federal, enquanto aliados e opositores articulam votos pelos seus interesses.

Neste cenário, os peemedebistas paraibanos Zé Maranhão e Raimundo Lira serão ponto chave. Segundo o blogueiro Walter Santos, “os dois senadores estão diante do momento que os tipificará para sempre na Hiistória”.

Confira a análise do Blog do Walter Santos sobre o papel dos senadores neste ponto decisivo do processo:

Maranhão e Lira: o Impeachment, a Legalidade e a Responsabilidade

Semana decisiva e Histórica para o Brasil. O Mundo no espectro Global dos Continentes estará acompanhando com muita atenção o desfecho de um processo formulado a partir da Câmara Federal tratando do Impeachment da Presidenta Dilma Rousseff.

No Senado, a Comissão constituida teve originalmente a presidência do senador Raimundo Lira com desempenho reconhecido e, na sequência, do presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowiski.

Durante a semana finda, as sessões acaloradas permitiram que personalidades do Direito e da Economia expusessem majoritariamente dados, segundo elas, comprovando que a base do Impeachment – as Pedaladas Fiscais -, não aconteceram, portanto, não há abrigo legal para serem.consideradas – o que fulmina com o argumento legal do Afastamento.

MUITO ALÉM DA LEGALIDADE

No decorrer da semana, os senadores José Maranhão e Raimundo Lira, ambos do PMDB, vão ser chamados ao veredicto final: se acompanham o partido, mesmo sem base legal no argumento do Impeachment, ou se exercem a postura de Justiça em nome da Democracia legitima.

Há uma questão grave porque, além do fator Pedaladas ter sido implodido em Plenário, o PMDB vive um sério problema porque, com base em varias delações de aliados como Sergio Machado, todo o processo de Impeachment foi criado politicamente sob o comando pemedebista flagrado em desvios de recursos públicos exatamente para implodir a Lava Jato.

Detalhe: contra Dilma não há uma única acusação de desvios de conduta e de desvios.

ENFIM…

Os dois senadores estão diante do momento que os tipificará para sempre na Hiistória.

A escolha é simples, embora difícil: ficar com o Corporativismo partidário ou a Justiça diante do Estado Democrático de Direito.

Da Redação -> wscom.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *